Artículos

28

May 2018

Uma Planta Alimentícia Não Convencional (PANC) de Excelência

Publicado por

Compilado e ampliado pelo Dr. Afonso Celso Candeira Valois.

Capuchinha (Tropaeolum majus L.)

A capuchinha é uma planta herbácea, anual e nativa das regiões montanhosas do México, do Peru e também do Brasil. É uma planta com características ornamentais.

Seus ramos são rasteiros ou escandentes, retorcidos e atingem de 2 a 3 m3etros de comprimento. Sua ramagem tem aspecto suculento.

Suas folhas são arredondadas, cerosas, simples e com 5 a 7 nervuras principais que partem do ponto de inserção na base inferior (pecíolo). Podem ser totalmente verdes ou verdes com borda avermelhada.

As flores são muito vistosas, simples ou dobradas, e podem ser vermelhas, alaranjadas, brancas ou amarelas e seu formato lembra um capuz. Por isso recebeu o nome de capuchinha. São formadas na primavera e no verão.

A capuchinha é toda comestível (flores, folhas, frutos, sementes e ramos novos). Ela possui um aroma muito agradável e um sabor picante, que lembra o agrião e a rúcula. Possui alto valor nutritivo, sendo muito rica em enxofre, antiocianinas, carotenoides (luteína) e flavonoides.

As folhas jovens e as flores podem ser usadas em saladas cruas, salteadas, para fazer massas verdes, patês, panquecas, pizzas, pães, cozidas com carnes, para sopas, charutinhos, risotos, sanduíches e o que su criatividade permitir.

Os talos (brotos tenros) e os pecíolos (cabo da folhas) podem ser aproveitados em cozidos, sopas, refogados ou bolinhos. É bom cozinhar, triturar e peneirar para eliminar a parte fibrosa.

Os botões florais e os frutos imaturos podem ser usados em conservas como se fossem alcaparras.

As sementes maduras podem ser tostadas e moídas e funcionam como pimenta-do-reino.

É considerada antiescorbútica, antisséptica, anitoxidante, anti-inflamatória e hipotensiva. Pode ser empregada ainda como fortificante dos cabelos e no tratamento de problemas pulmonares.

Pode ser cultivadas em bacias, em vasos ou jardineiras como planta pendente.

No jardim fica linda como forração. Ela adora se espalhar, portando delimite o espaço delas ou consuma nas várias possibilidades citadas acima. Pode também ser conduzida como trepadeira, desde que tenha onde se apoiar.

Deve ser cultivada a pleno sol, mas vai bem à meia sombra também, só que florescem menos. Por isso, a capuchinha pode ser utilizada, em sistemas agroflorestais, como alternativa. Gosta de solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e mantido úmido. Adapta-se bem nas regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste. Multiplica-se por sementes postas a germinar no outono direto no local onde será cultivada. Pode-se fazer estacas do ramo também. Tem havido bastante sucesso na multiplicação em meios hidropônicos, especialmente na produção de flores comestíveis (Prof. Cyro Paulino da Costa, informação pessoal).

FONTE: Horta Caseira (13/05/2018)



Lea también